• Vacinação Raiva

    Em Portugal é obrigatória a vacinação antirrábica. Deverá ser administrada a partir dos 4 meses e repetida anualmente.

  • Alimentação Papagaios

    Uma das principais causas de doenças em papagaios são aquelas provocadas por deficiências e indiscrições alimentares.
    Prefira as dietas comerciais. Com elas conseguirá oferecer ao seu papagaio todos os nutrientes e vitaminas que ele precisa de uma forma completa e equilibrada.

  • Higiene Oral

    Tente escovar os dentes do seu cão ou gato diariamente. Assim conseguirá manter a sua boca e dentes saudáveis.
    Não se esqueça que para isso deverá usar escovas e pastas específicas para a espécie.
    Caso a escovagem não seja possível poderá recorrer a biscoitos/barras dentais ou elixires.
     

  • Dirofilariose

    A Dirofilaria ou "verme do coração" é um parasita transmitido por mosquitos comuns que , em casos extremos, pode provocar problemas cardiacos e mesmo a morte. A sua prevenção é essencial!

    Aconselhe-se junto do seu Médico Veterinário

  • Castração

    A Castração cirurgica nos machos (orquiectomia) e a esterilização cirurgica nas fêmeas (ovariohisterectomia) ajuda a prevenir, tratar e evitar algumas doenças (cancro da mama, tumores testiculares, infecções do útero, etc). Aconselhe-se junto do seu Médico Veterinário

  • Vacinação

    Não subestime a importância da vacinação do seu animal. Muitas das doenças que as vacinas podem prevenir são graves, sendo algumas incuráveis e fatais.

  • Automedicação

    Tal como nos Humanos, a Auto-Medicação para os nossos animais deve ser evitada.

Processionária (Lagarta do Pinheiro)

Sabia que…

A lagarta do pinheiro ou processionária (Thaumetopoea pityocampa) é uma das principais causas de alergia em cães curiosos, mas também pode afectar gatos. Geralmente é na Primavera que os nossos amiguinhos podem contactar com elas. É que apesar de passarem a maior parte do seu ciclo de vida nos pinheiros, é durante este período (Fevereiro a Maio) que as processionárias descem dos seus ninhos e, deslocando-se em fila, provocam curiosidade nos nossos companheiros, que ao se aproximarem e cheirarem podem contactar com os pêlos urticantes que elas possuem. Estes pêlos funcionam como finas agulhas, que libertam uma toxina (taumatopoína) responsável pela reacção alérgica.


 

Geralmente o contacto com a toxina ocorre através da pele, mas podem também ser engolidas ou contactar com os olhos. Um simples farejar pode ser suficiente para que surjam sintomas. No cão, os lábios, a mucosa oral e a língua são as partes do corpo mais afectadas

Os sintomas podem começar com comichão e inchaço nos lábios, língua e/ou focinho, hipersalivação (excesso de produção de saliva), podendo evoluir rapidamente para uma situação muito grave de necrose (morte) dos tecidos afectados, que poderá por em risco a vida do seu companheiro.

Assim, deverá evitar passear o seu companheiro em zonas florestais ou pinhais que possam estar afectados, durante esta altura do ano (nalgumas zonas a descida das lagartas poderá ocorrer também no inicio do Outono). Caso o contacto aconteça, deverá colocar umas luvas e lavar bem a boca do seu animal com água corrente sem friccionar (para evitar libertação de toxinas) e dirigir-se rapidamente ao seu Médico Veterinário mencionando o contacto com as processionárias.

RECEBA A NOSSA NEWSLETTER
VIA EMAIL: SAIBA QUAL A FARMÁCIA
DE SERVIÇO MAIS PERTO DE SI.

CLIQUE AQUI »


Web Design: New Media Design